O novo homem de carne

hamburguer vegetal
hamburguer vegetal

Ervilha, ervilha, soja, beterraba entre os elementos hambúrgeres de vegetais. (Ilustração: Jonatan Sarmiento/para a SAÚDE é Vital)

Diminuir a carne vermelha, em um dia tornou-se parte da agenda necessários em todo o mundo. Recentemente, a importância do evento foi reconhecido no relatório do grupo Intergovernamental de especialistas sobre mudança Climática (IPCC) das Nações unidas. Para resumir em poucas linhas, há uma comissão, mostrando informações sobre a disponibilidade, as atividades de desenvolvimento da pecuária para produzir mais gases de efeito estufa do que todos os meios de transporte juntos. O aquecimento global, certamente — e desastres naturais, aproximando-se os dias e horas.

O que é ainda pior, um insulto a comida traz consequências negativas para a nossa saúde. “Já é associada a um maior risco de doenças cardiovasculares, diabetes e até mesmo alguns tipos de câncer”, diz a nutricionista Dirce Maria Lobo marchioni iniciativas, o professor, o responsável pelo projeto Sustentarea, a Extensão da Universidade de São Paulo (USP), sobre a resistência e rigidez.

Provavelmente, fogão, o brasil é o percurso que está em perigo. “O consumo vai de, aproximadamente, 700 gramas por semana, e recomendado, 400 gramas”, estima a nutricionista Márcia Gowdak da Sociedade de Cardiologia do Estado de São Paulo (Socesp).

Afinal de contas, lé com mas resultou, dá a entender que o script cria e a nova onda: hambúrgueres vegetais , que dou a palavra, que é uma função similar na versão do gado. “Simular a carne vermelha é uma estratégia inteligente para o pagamento de uma situação de emergência”, disse a nutricionista Alessandra Luglio, consultor de Fazenda para o Futuro fez com que o ruído, a fim de apresentar os primeiros hambúrgueres, legumes, esses selos há beterraba fórmula dirigir até a cor de um disco convencional. Ele está localizado em algumas redes de fast-food, e também a parte congeladas em supermercados. Em novembro, a empresa (ou healthtech) novamente surpreendeu, desta vez, a carne picada com plantas, na base.

Marca Leta, sócio-fundador da marca, de produtos democrático: “Eles, como muitos vegetarianos e veganos, que sentem a falta de gosto de carne vermelha, como todos os onívoros, que querem reduzir o seu consumo, independentemente da causa”.

Alessandra diz que é muito difícil mudar completamente os hábitos de modo enraigados, como por adicionar. Daí a vantagem alternativa alimentar, o que é certo, de uma ligação emocional, ao mesmo tempo, que causam menos impacto no meio ambiente.

Já na década de 90, disponibilidade e uma grande variedade de produtos para vegetarianos e vegans, Superbom foram outras empresas, em que para o hambúrguer de plantas mesmos, a carne. “Hambúrgueres, calculado para os verdadeiros apreciadores, para os Vegetarianos que ele mais se concentra no fato de que o público não quer mudar completamente, mas se você quiser a opção de compartilhamento de uma ou duas vezes por semana”, diz Cristina Ferreira, diretor de indústria e de r&D da marca. É o chamado flexitarianos. Nesta classe também sofreu o impacto, para o Produto, que é liberado Maravilhoso Hambúrguer — 100% à base de plantas, ele prometeu “o sabor, a textura e a aparência tradicional”.

A nutricionista Gabriela Parise, da clínica NutriOffice, na capital, vê-se que com o novo é melhor esperar. “É um movimento, quando as pessoas começam a perceber”, disse. “Há muitas pessoas que querem maneirar carne por questões éticas e ambientais, e nenhum gosto”, reforça a profissional, que também são parte integrante da Sociedade Vegetariana].

Para Marcia, Socesp, não há dúvida de que o desafio do desenvolvimento sustentável é de extrema importância. Mas em termos de saúde, você tem que colocar o pé do pedal do travão. “Trata-se de substâncias com alto grau de processamento e, além disso, é rica em gordura saturada e sódio”, diz ele.

Note-se que a exagerar esse tipo gorduroso aumenta o nível de colesterol ruim (LDL) e causar uma grande probabilidade de educação de placas nas artérias. “Já tem mais de sódio aumenta a pressão, mas e hipertensos, como uma pessoa saudável”, lembra a nutricionista. Nós estamos falando sobre o principal fator de risco para doenças cardiovasculares.

“Nós identificamos, na verdade, é a comida, é o mais próximo à natureza, com comida de verdade”, afirma Dirce. Portanto, é a comunicação com a nota é o crescente mercado de carne-que-não-carne. “Além disso, estamos em um momento de verdadeiro perigo para o meio ambiente, é importante notar que temos, é estritamente no âmbito global da obesidade”, alerta. Deste ponto de vista, ele não vê os benefícios de uma troca de nutrientes, calorias e de gordura, com outro perfil — mesmo que de origem vegetal.

“Por um curto período de tempo, esta categoria é destinada para ser a mais saudável do mundo”, com desconto, Alessandra, Econômicas Futuro. “A idéia principal é trazer o sabor, o aroma e de proteção de carne”, diz ele.

O olho é, ele pede para comparar a alimentação deve ser tomado em relação aos hambúrgueres de gado, e não de um pedaço, comum e muito o prato, salada (veja no fim da matéria, a comparação). Isso não significa, no entanto, que a prescrição não pode aumentar.

Depois de alguns meses após a liberação, o Futuro do Hambúrguer, a empresa já mudou, o produto, chamando-o de 2.0. “Um pouco de gordura e de sódio”, diz Alessandra. “A tecnologia está se desenvolvendo, e nós também”, disse Leta.

Eis. também

  • MedicinaHipertensão: causas, sintomas, diagnóstico e como baixar a pressãoquery_builder de maio de 17-2018 – 08h05
  • AlimentaçãoDieta baseada em vegetais pode ajudar a prevenir o diabetes do tipo 2,query_builder a 8 de agosto de 2019 – 16h08

Agora a atenção do universo costeletas, é necessário recordar que este tipo de alimentação não para o dia todo. Segundo ele, a Gabriela, mesmo a versão vegetais são apresentados na escolha para ocasiões especiais. Porque ele é, provavelmente, será acompanhada de queijo, ketchup e maionese — para a implantação de elementos básicos. Assim, o prato ganha uma dose extra de gordura e de sódio.

Ele já bife, que é criado com o arroz e feijão de pratos no brasil, deve ser, em segundo lugar, Marcia, para dar às crianças, no máximo, três vezes por semana. O seu lugar, nada de hambúrguer.

E o recheio sobre a base de plantas com discute as condições, exceto. Finalmente, três colheres de sopa de focar a 9 g de gordura saturada — quase a metade da que seria bom, o dia todo. Dirce oferece a procurar alternativas, tais como frango, peixe ou ovos, para trazer menos danos ao meio ambiente. E também as receitas especiais. “Recheio você pode fazer com legumes”, um exemplo.

A partir deste ponto de vista, é claro, outros produtos à base de plantas disputarão espaço com o equivalente de origem animal. Mas esta característica não, eles, certamente, é equilibrado. “Temos que ficar de olho, rótulos”, diz Dirce.

Além disso, é bom para entender o lugar de cada prato, procedimentos internos. Só assim pode-se substituir na verdade, após a conclusão.

Resumo-hambúrgueres de legumes

Apesar de receitas, legumes, trabalhar, feijão e, portanto, esbanjem de proteínas, a nutricionista Márcia Gowdak chama a atenção para o alto conteúdo de gordura saturada. Ele, que o abuso tem um impacto negativo no peso e no coração. Outra coisa que varia muito de sódio. Não se esqueça de que para adultos restrições de 2 gramas de mineral por dia. Existem produtos à base de plantas, o que dá, pode-se dizer que a metade lhe. Através de um rótulo!

A carne, moídas?

Principal dilema, em comparação com a versão de legumes, a farinha de ervilha e proteína de soja e ervilha, e os fortes de gorduras saturadas: três colheres de sopa de 9 gramas. Isso corresponde a 41%, que a atenção do adulto para o dia todo. E dá, pode-se dizer, que é cinco vezes maior do que o que encontramos é a mesma coisa na parte de acém moído. O custo de sódio e não é insignificante. É preciso maneirar.

Nova cara da carne

– (Ilustração: Jonatan Sarmiento/para a SAÚDE é Vital)

Hambúrguer de carne de vitela laboratório

Vəssa é a proposta, o pesquisador Mark Post Mosa Меат. Depois de vários anos de estudo na Universidade de Maastricht, na Holanda, foi o que ele, os hambúrgueres são feitos de células musculares vaca — eles não são capazes de se reproduzir fora do bicho-da-seda. Logo, nenhum animal é dada em sacrifício. De acordo com a sua equipe, com a intenção de adiar o produto no mercado em 2021, ano. Em termos de nutrientes, vai continuar, a medida requer, principalmente, o colesterol e de gordura.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here